Decoração Monocromática – Nova Tendência

Categorias: Decoração - Decoração Monocromática - Dicas - Tendências

A principal vantagem em decoração monocromática está na coerência, por assim, dizer, uniformidade e até organização interior, tanto do lar quanto do psicológico.



Depois de um período de coletividade nas cores de decorações internas, onde o arco-íris prevalecia, chega, finalmente, ou retorna, o período que marca tendências nas decorações monocromáticas. Seguem algumas dicas para este de decoração, com elegância, discrição e charme.

De acordo com especialistas, as cores internas do lar são tão marcantes e tem uma função tão importante quanto os demais elementos que preenchem cada cômodo. Psicólogos e outros profissionais na área de humanas explicam que as cores têm papéis importantes em nossas vidas. Quando decidimos preencher as paredes de nossas casas com determinadas tonalidades, estamos imersos em algum estado de espírito, ou pelo menos convivendo com um estilo de ser, de viver.

Uma casa onde as paredes internas apresentam uma cor muito intensa como alaranjado ou verde causam uma impressão aos visitantes, que poderão imaginar uma série de coisas sobre seus anfitriões.

A principal vantagem em decoração monocromática está na coerência, por assim, dizer, uniformidade e até organização interior, tanto do lar quanto do psicológico. Quando entramos em uma escola para crianças, geralmente as paredes coloridas e repletas de cenas de fábulas e contos de fadas, uma explosão colorida, cujo sentido é despertar nos pequenos a imaginação.



Em uma universidade, como a Pontifícia Universidade Católica, prevalece a cor vermelha, por conta de sua ligação com o Vaticano. Mas, trata-se de uma única cor que prevalece, que simboliza uma instituição de caráter universal.

Entretanto, esse tipo de decoração, voltando ao tema do lar, não se limita a cores, mas, expande-se para os objetos que estão inseridos no meio. Um móvel, um vaso, um quadro que exibe uma tela de arte vanguardista, ou seja, mais simplificada e desprovida da extravagância de pinturas clássicas. Tudo isso é parte das personalidades.

Cada ambiente vai, necessariamente, transmitir uma sensação. Portanto, a dica é saber equilibrar. Da mesma maneira que se pode abusar colocando muitas cores em um ambiente, pode-se, também, abusar de uma única cor, e isso pode até tornar o ambiente muito desconfortável psicologicamente.

Vale a pena, se a situação financeira é mais folgada, contratar um especialista nesse ramo, de modo que ele possa estudar o formato do ambiente, o estilo de vida das pessoas que nele vivem e, por conseguinte, o tipo de cor que poderá ser inserida. O branco, inevitavelmente, sempre estará em todos os ambientes, pois é uma questão de favorecer à iluminação natural que penetra pelas janelas e portas.

Se uma pessoa decide decorar seu ambiente interno com uma cor cinza, por exemplo, vale a dica de dosar muito cuidadosamente essa tonalidade, para não tornar o ambiente sombrio ou depressivo. Uma cor alegre, como a azul, a mesma dica. Fazer das paredes de uma casa um firmamento também poderá causar impacto negativo nas sensações. Tudo deve ser equilibrado, como diz o velho mote: no pondo mediando está o saudável.

Todo tipo de cor influencia diretamente no nosso humor e em nossos sentimentos. As tonalidades frias e claras podem tornar os ambientes de uma casa verdadeiros relaxantes. Tonalidades mais quentes e fortes podem excitar as pessoas, pois despertam apetites ou causam impactos na própria epiderme. As cores simbolizam coisas e seres.

Vale apertar, também, para o fato de que uma decoração monocromática não precisa se resumir a uma única tonalidade, de modo a não tornar o ambiente cansativo, muito uniforme e até pobre para a imaginação e os sentimentos. Uma dica fundamental: trabalhar com tons variados de uma mesma cor, ou seja, o famoso degradê; vale também a dica das variadas texturas em acabamentos e nos tecidos de estofados, nas paredes e nas cortinas, por exemplo: Parede branca, cortina cinza e sofá preto, que deixa o ambiente discreto e elegante.

Por Paulo Henrique dos Santos



Próximo Post

Não há mais posts

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *