Le Corbusier – Biografia e Características de suas Obras





Conheça aqui um pouco da história de Le Corbusier e as características de suas obras.

Já ouviu falar de Charles-Edouard Jeanneret-Gri? E de seu pseudônimo, Le Corbusier? Considerado um dos mais importantes arquitetos do século passado, Le Corbusier também foi urbanista, escultor e pintor, conhecido principalmente por ter sido o criador das Unités d’Habitation, que são grandes edifícios projetados para a reconstrução do governo francês. Vamos conhecer um pouco mais sobre o conceito francês?

O franco-suíço Le Corbusier projetava suas obras a partir da retirada do essencial dos estilos de diferentes épocas. Viaja muito e sintetizava o que via para confeccionar suas criações. Em seu livro, Vers une architecture (Por Uma Arquitetura, no Brasil), o arquiteto elaborou a base do movimento cujas características eram funcionalistas. Muito criticado desde seu lançamento, o autor negava qualquer cunho histórico-nacionalista, graças à influência de suas viagens, e elevava o estilo internacional. O motivo das críticas talvez se dê pelo fato de ser uma antítese ou até mesmo um manifesto a favor de uma forma arquitetônica que suprisse as necessidades humanas de acordo com o contexto social da época. O estopim que provocou a revolta em Corbusier foi a estagnação da arquitetura, onde havia somente cópias e misturas. Ele dizia que a estética do engenheiro e a arquitetura são duas coisas consecutivas, de modo que uma se dá em pleno florescimento, enquanto a outra em absoluta regressão. Junto com a Bauhaus, na Alemanha, Corbusier conseguiu atingir seu objetivo e viu a revolução arquitetônica no mundo todo.

Bauhaus

Foi uma escola de design, artes plásticas e arquitetura da Alemanha. Seu sucesso e reconhecimento mundial deram-se por ser a primeira escola de modernismo no design. Este fato é considerado o nascimento do design moderno. O prédio da Bauhaus foi construído de acordo com o construtivismo russo, que se enlaçava nas ideias de Corbusier. Um prédio simples, com formas geométricas, assim como defendia o franco-suíço. No Brasil, o movimento teve influência também na arquitetura de Brasília.

Preocupações urbanistas





Le Corbusier enxergava as mudanças do mundo em que estava inserido e, mais além, pensava no legado que os arquitetos deveriam deixar para as gerações futuras. Os automóveis, por exemplo, cada vez mais em alta, transformariam o espaço urbano e, por isso, era necessário refletir e agir em prol dessa mudança. Le descartava a superficialidade estética do design e da arquitetura, pois a casa era feita, unicamente, para morar. Não havia necessidade, segundo seu pensamento, de exibir riquezas numa construção cuja finalidade era outra.

Anna Karolina Velasques



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *